Tudo o que eu escrevo é de improviso. Um improviso pensado.

.posts recentes

. Reforço positivo

. Tenho rezado todos os dia...

. Relembrando Eça

. Marx avisou

. Onde arranjar metáforas?

. Esperar é uma virtude

. Aprender uma língua

. A culpa é do remador

. Ralhar não dói

. Escrever também cansa

.arquivos

. Agosto 2009

. Junho 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Janeiro 2009

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

. Setembro 2007

. Agosto 2007

. Julho 2007

. Junho 2007

Sexta-feira, 26 de Outubro de 2007

Comportamento gera comportamento

Li um dia... quando e onde não me lembro... às vezes não leio e invento... outras vezes invento e penso que leio. Mas desta vez, tenho a certeza que li a  história que vou contar  num daqueles artigos curtinhos daquela revista chamada Selecções do Reader’s Digest.

Arthur Miller, comprava diariamente o jornal no mesmo quiosque. O vendedor não era propriamente um exemplo de boa comunicação e ao “bom dia” e “muito obrigado” de Miller respondia sempre com uma espécie de grunhido mal disposto.

Certo dia, Miller compra o jornal acompanhado de um amigo e  este ao ver tal saudação (?) da parte do vendedor em resposta à boa disposição de Miller, faz o reparo:
- Viste como ele te respondeu?
- Ah, ele é sempre assim.- E Miller, descontraído,  pára na rua com o jornal debaixo do braço  a fim de  acender o cigarro.

(bom. Se pára ou não, não sei, mas apeteceu-me acrescentar isto aqui)

- E tu continuas sempre a falar-lhe?- continuou o amigo de Miller
- Sim, claro. O que ele quer é que eu lhe responda na mesma moeda mas eu não lhe faço o jeito.
 
Em psicologia "comportamento gera comportamento". Sabendo disto, contrariamos atitudes negativas,simplesmente, ignorando-as.


Leonoreta

publicado por leonoreta às 21:20

link do post | comentar | favorito
|

8 comentários:
De almapater a 27 de Outubro de 2007 às 11:13
Verdade. Mas transposto para entre 4 paredes, dá muito no “quanto mais me bates, mais gosto de ti”.
Indo por aí a cima, acabamos num tema recorrente em si; os efeitos perniciosas da comodidade, na assunção da coragem, como ponto de partida para a procura de novos caminhos.”
Acredito que a indiferença, é o mais despertador dos sentimentos reactivos. Mas capeia (dar capa) também, muita falta de túbaros. (não os que se comem guisados nas tascas de Moscavide).
Tenha um bom fim de semana., e não fique rouca. Os seus berros, ajudam a combater, o adormecimento das consciências. Mesmo que vc, seja um aparente paradigma do silêncio. ( a crer nos seus textos, fonte de tanto conhecimento.....)


De António a 27 de Outubro de 2007 às 13:55
Minha querida Leonor!
Depois de ler este teu post psicológico lembrei-me de uma frase que eu e alguns amigos ou conhecidos costumávamos dizer (já lá vão bastantes anos):
"As tuas palavras fazem ricochete na couraça de minha indiferença".
Acho que vou voltar a atirar com ela quando me chatearem...ah ah ah.

Beijinhos


De lena a 27 de Outubro de 2007 às 22:44
Leonor, minha querida amiga

foi por acaso que aqui te encontrei

gostei do lugar, é acolhedor

parabéns pelo bom gosto

deixo um beijo meu, mais um cantinho com o teu toque tão especial

beijinhos para ti doce amiga e o meu abraço de sempre

lena


De alexiaa a 28 de Outubro de 2007 às 16:30
Não sei até que ponto ignorar deliberadamente uma atitude com vista a contrariar as expectativas alheias é mesmo ignorar…
Com o tempo percebi realmente que a indiferença é das coisas que mais atingem o ser humano mas não consigo senti-la com facilidade. O que aprendi a fazer foi a “fingi-la” muitas vezes para atingir algum objectivo…mas acho que isso não é a verdadeira indiferença. De qualquer forma a moral é a mesma, comportamentos geram comportamentos…e a necessidade faz o monge (Não sei se é assim, sou péssima a provérbios e pior em atitudes comportamentais).
Bem Maria Leonor (sou boa a inventar nomes), espero que estejas bem e que aches fixe esta minha visita:)))
Beijinhos e…fica bem!


De pedro alex a 1 de Novembro de 2007 às 18:45
E não é que a psico tem razão.
Mas comigo ignorar não funciona, corre-me sangue quente nas veias, não consigo dominar-me nem me esforço por isso.
Pelo menos à M**** o outro iria, nem que fosse em chinês.
Atchim...
Bj:)


De heretico a 3 de Novembro de 2007 às 14:55
a arte de "dar a volta por cima..."


De somentebia a 8 de Novembro de 2007 às 01:20
Acredito que em situação idêntica eu adotaria a mesma tática do Arthur Miller, pois acredito ser preferível continuar a agir de acordo com nossos padrões de educação do que sujeitarmo-nos às esquisitices do outro.

Gosto dos teus textos, amiga, sempre nos levando a refletir sobre algum acontecimento.

Ficam pétalas perfumadas, um beijo no teu coração, e o desejo de dias lindos a enfeitar tua vida.


De X a 12 de Novembro de 2007 às 17:27
Comportamento gera mesmo comportamento, a indiferença pode ser uma arma incrível mas também pode jogar contra nós ao protelarmos uma situação mal resolvida que se prolonga no tempo.



Comentar post

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Agosto 2009

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9
10
11
12
13
14
15

16
17
18
19
20
21
22

23
24
25
26
27
28
29

30
31


.tags

. todas as tags

.links

.Fazer olhinhos

blogs SAPO

.subscrever feeds