Tudo o que eu escrevo é de improviso. Um improviso pensado.

.posts recentes

. A escola é uma prisão

.arquivos

. Agosto 2009

. Junho 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Janeiro 2009

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

. Setembro 2007

. Agosto 2007

. Julho 2007

. Junho 2007


Sexta-feira, 22 de Fevereiro de 2008

A escola é uma prisão

Há muito tempo que não escrevo sobre a escola. O motivo procuro agora para explicar a premissa anterior. A mudança brusca que se tem verificado no sistema de ensino apanhou integralmente o meu espírito às adaptações exigidas pelo ministério da educação a afastou-me daquilo que realmente gosto de fazer: dar a aula.
 
Deitei as preocupações do não saber fazer segundo a alínea do artigo tal do despacho não sei quantos que, decerto me atrasará no progresso da carreira e recomecei a dar a aula. A inventar novas maneiras de dar a conhecer o lobo mau e, à conta dele, do lobo mau, dou a letra B, faço revisões da letra L, no ditongo AU em português; agrupamos em dezenas as telhas que o lobo fez voar da casa de um dos porquinhos e verificamos que os pelos do lobo não são escamas nem são penas em estudo do meio.
Depois fazemos um desenho. Toca. Todos arrumamos as coisas. Mas não vamos para casa. Eu vou fazer super visão de actividades extra curriculares e eles vão para essas actividades. Ainda assim eu saio mais cedo do que eles. Depois de cinco horas de aulas, hora e meia de actividades, os miúdos ainda têm que estar no ATL. Ao todo, muitos passam onze horas na escola.
Às cinco e meia finjo que arrumo a escola na gaveta até ao dia seguinte. Sigo em direcção ao portão.
- Vais-te embora professora? – pergunta-me a Rafaela, uma miúda pequenina, linda de olhos verdes que fez seis anos em Novembro e que não quer aprender as letras pelos livros mas que não se importa de brincar com  cartõezinhos quadrados coloridos onde . eu desenho sílabas para ela juntar.Ainda não percebeu que a enganei e que sem ela querer já aprendeu a ler.
- Vou Rafaela. Até amanhã.
Fecho o portão alto atrás de mim. Ela ainda me acompanha uns metros do lado de dentro das grades da escola. A escola parece uma prisão.
 
 Leonoreta

publicado por leonoreta às 20:54

link do post | comentar | ver comentários (11) | favorito
|

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Agosto 2009

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9
10
11
12
13
14
15

16
17
18
19
20
21
22

23
24
25
26
27
28
29

30
31


.tags

. todas as tags

.links

.Fazer olhinhos

blogs SAPO

.subscrever feeds