Tudo o que eu escrevo é de improviso. Um improviso pensado.

.posts recentes

. Reforço positivo

. Tenho rezado todos os dia...

. Relembrando Eça

. Marx avisou

. Onde arranjar metáforas?

. Esperar é uma virtude

. Aprender uma língua

. A culpa é do remador

. Ralhar não dói

. Escrever também cansa

.arquivos

. Agosto 2009

. Junho 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Janeiro 2009

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

. Setembro 2007

. Agosto 2007

. Julho 2007

. Junho 2007

Sexta-feira, 6 de Julho de 2007

Inato ou adquirido

Toda a gente me diz que me preocupo demasiado com as coisas e que preciso de aprender a relaxar na vida. “as coisas valem o que valem”, dizem-me.

Pois realmente eu vejo as pessoas à minha volta muito relaxadas e para falar a verdade verdadinha eu até queria  um temperamento desses para mim.

 

Como é que se atinge esse estado de perfeição?

Questiono-me se já nasceram assim com esse dom ou se o adquiram por aprendizagem… a ver outros que tais. Contudo, as pessoas que eu conheço e que conseguiram o desejado relax não me querem dizer como é que lá chegaram. E eu, sozinha não consigo atingi-lo.

De vez em quando, perante alguma insistência da minha parte, há um que me diz, para me despachar, “não te preocupes com coisas mesquinhas”.

Longe de me relaxar mergulho ainda mais fundo na tensão.

- E o que é uma coisa mesquinha? – quero saber.

- Uma coisa mesquinha é uma coisa que vale o que vale.

 

Sinto que o pensamento se me escapou. Que a voz se foi e entro num repetido  imbróglio existencial.

- Uma coisa que vale o que vale quer dizer que... - Ingenuamente tento sacar nabos da púcara. 

- Uma coisa que vale o que vale é uma coisa que tem um valor diferente para mim diferente daquele que é para ti. O amor por exemplo, para mim pode  ser importante e para ti não.

- Hum...

- Leonor... o que tens andado a fazer?

- A dormir, acho eu.

- Relaxa.

- Ah, sim. acerca do relaxar... como é que se faz?

- Mas tu estás a brincar?

- Quem? Eu? Eu não.

- Já te disse para não ligares a coisas mesquinhas. É esse o truque.

Ainda não foi desta vez que consegui que me dissessem. Se não for inato deve haver uma maneira de lá chegar. Mas como? Sim! Como?

Leonoreta


publicado por leonoreta às 09:22

link do post | favorito

Comentar:
De
 
Nome

Url

Email

Guardar Dados?

Ainda não tem um Blog no SAPO? Crie já um. É grátis.

Comentário

Máximo de 4300 caracteres



Copiar caracteres

 



.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Agosto 2009

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9
10
11
12
13
14
15

16
17
18
19
20
21
22

23
24
25
26
27
28
29

30
31


.tags

. todas as tags

.links

blogs SAPO

.subscrever feeds